Loading...

sábado, 31 de dezembro de 2011

O que Deus espera de um pastor?

Como deve viver um pastor? E como dever ser o seu jeito vocacional?

Em primeiro lugar, vamos buscar nas escrituras sagradas a descrição a respeito desse privilégio, que é ser chamado do Deus Altíssimo.
Veja o que o livro de Jeremias, no capítulo 3, versículo 15, diz: “Dar-vos-ei pastores segundo o meu coração, que vos apascentem com conhecimento e com inteligência”. Como podemos ver e refletir, diz-se que um pastor é escolhido, remido e chamado a ser um homem segundo o coração de Deus, ou seja, ele é nascido e gerado no coração do Deus Altíssimo, cheio de sabedoria e preparado de conhecimento. Portanto, ele não pode ser dado, a ciúmes, a contenda, ao ódio, ao rancor, ele não deve magoar, perseguir, machucar, difamar, denegrir, nem ofender, mas sim, como servo de Deus, seguir com amor, as metas pastorais designadas por Deus e pelas escrituras sagradas. Ele deve ser um modelo único e verdadeiro, seguidor de Cristo Jesus – “ Aprendei comigo que sou manso e humilde de coração” – Jesus disse isso, porque veio por meio do Pai e foi gerado pelo amor. Dessa maneira, Jesus tinha que aparecer ao mundo como um modelo de amor.
O pastor que escolhe servir e seguir a Deus e a sua Santa Palavra tem que viver do jeito que Cristo viveu, conforme as escrituras sagradas e a vontade de Deus Pai, afinal de contas, Paulo, escrevendo ao ministério de Timóteo, em Éfeso, admoestando a respeito do jeito de ser e viver de Timóteo, disse: “As qualificações dos bispos, é necessário, portanto, que o bispo seja irrepreensível, esposo de uma só mulher, temperante, sóbrio, modesto, apto para ensinar; não dado ao vinho, não violento, porém cordato, inimigo de contendas, não avarento” – I Tm. 3:2.
O pastor que não segue seu ministério à luz desses princípios bíblicos, para Deus, ele é considerado, arrogante, prepotente, atrevido, egoísta, avarento, faccioso, blasfemador e caluniador à imagem de seus colegas, duro e frio com suas ovelhas, desobediente a seu chamado conforme o modelo ético da Palavra que lhe ensina como ser um verdadeiro pastor, ingrato, irreverente, desafeiçoado, implacável, caluniador, sem domínio próprio, cruel, inimigo do bem, traidor, atrevido,  mais amigo dos prazeres da carne, dado a fofoca, formador de calunia, pisa por cima da verdade de Deus se tornando “deus da teologia”, buscando conhecimento de si.
Nosso companheiro apóstolo Tiago escreveu: “Quem entre vós é sábio e inteligente? Mostre em mansidão de sabedoria, mediante condigo proceder, as suas obras. Se, pelo contrário,  tendes em vosso coração inveja amargurada e sentimento faccioso, nem vos glorieis disso, nem mintas contra a verdade. Esta não é a sabedoria que desce do Alto; é terrena, animal e demoníaca. Pois, onde há inveja e sentimento faccioso, aí há confusão e toda espécie de coisas ruins.” Tg. 3:13-16
Ora, se o pastor observar os mandamentos que estabelecem regras disciplinares ao cargo de pastor e bispo do rebanho do Senhor, Jesus Cristo, que é de zelar, cuidar, proteger e amar as suas ovelhas  confiadas por Deus em suas mãos, tal pastoreio  deve estar revestido da capacidade sábia que vem do Alto, conforme diz o mesmo texto diplomado das mesmas páginas do artigo de Timóteo (3:17-18). A sabedoria quem vem do Alto é, primeiramente, pura; depois, pacifica, indulgente, tratável, plena de misericórdia  e de bons frutos, imparcial e sem fingimento.
É em plena paz que semeia-se o fruto da justiça.
Diz a verdade da Palavra de Deus, neste tema “Como deve viver um pastor”, que, antes de você obstinar o seu coração pastoral à prática de querer investigar o passado de um colega ou difamar o pecado de um irmão, diz no texto de João 8:3-10, assim: “Os escribas e fariseus, trouxeram o caso de uma mulher adúltera ao passa da lei de Moisés, e disseram eles: ‘Mestre, esta mulher foi apanhada em flagrante adultério, e na lei nos mandou Moisés, que, tais mulheres sejam apedrejadas; Tu, pois, que dizes?’. Jesus, levantando-se, lhes disse: ‘Aquele que dentre vós estiver sem pecado, seja o primeiro que lhe atire a pedra’. Porém ouvindo eles esta resposta e acusados pela própria consciência, foram-se retirando um por um, a começar pelos mais velhos, até aos  últimos, ficando só Jesus e a mulher no meio onde estava. Erguendo-se Jesus, e não vendo ninguém mais além da mulher, perguntou-lhe: ‘Mulher, onde estão aqueles teus acusadores? Ninguém te condenou?’. Respondeu ela: ‘Ninguém, Senhor!’. Então, disse-lhe Jesus: ‘Nem eu tampouco te condeno’.
Nenhum homem, por mais privilégio que tenha com Deus, até mesmo os anjos que servem ao Senhor nas alturas, recebem ordem para perseguir, maltratar ou amaldiçoar qualquer vida feita à imagem e semelhança de Deus, ainda que essa pessoa seja uma das mais pecaminosas aos olhos de Deus. Portanto,  se você não tem amor para cuidar de um colega ou uma ovelha manca ou com deficiência, moral, espiritual ou social, não importa, não mate aquilo que Deus deu vida, só à Ele pertence todas as coisas, pois para Ele, foram criadas todas as coisas.

Autor: Pr. Rubens Almeida

Um comentário:

Anônimo disse...

PALAVRAS SABIAS E VERDADEIRAS. INFELIZMENTE HOJE MUITOS PASTORES DA MODERNIDADE NAO SE PREOCUPAM COM O SEU REBANHO E SIM COM O SEU PRÓPRIO BEM, FAZENDO DENTRO DAS IGREJAS AS CHAMADAS "PANELINHAS".
QUE DEUS ABENÇOE RICAMENTE PASTORES QUE AINDA SIM OFERECEM COM A GRAÇA DE DEUS O VERDADEIRO ALIMENTO PARA UMA OVELHA.